Poetizando...

Ocaso

No fundo dos sonhos

fecho os olhos

para descansá-los.

No piscar,

água benta.

Sopro

que goteja a face.

Enternece

em avenças secas

quando o fogo do sonho

entardece.

Posts Em Destaque